arduino UNOR3Os apaixonados por tecnologia certamente já pensaram em prover soluções eletrônicas que resolvessem probleminhas do dia a dia. Com o Arduino, uma placa fabricada na Itália utilizada como plataforma de prototipagem eletrônica que torna a robótica mais acessível a todos. Projeto italiano iniciado em 2005 tinha primeiramente cunho educacional e interagia com aplicações escolares.

O sucesso nessa fase foi tão grande que mais de 50 mil placas open source foram vendidas e rendeu um documentário de 2010 sobre a trajetória de desenvolvimento da plaquinha. As unidades são constituídas por controladora Atmel AVR de 8 bits, pinos digitais e analógicos de entrada e saída, entrada USB – o que permite conexão com computadores – ou serial e possui código aberto, que quando modificado, dá origem a outros derivados “ino” – que por questões comerciais – levam nomes como Netduino, Produino e Garagino. A placa Arduino não possui recursos de rede, mas pode ser combinada com outros Arduinos criando extensões chamadas de shields.

A fonte de alimentação recebe energia externa por uma tensão de, no mínimo, 7 volts e máximo de 35 volts com corrente mínima de 300mA. A placa e demais circuitos funcionam com tensões entre 5 e 3,3 volts. Embutido no Arduino há ainda um firmware – que combina memória ROM para leitura e um programa gravado neste tipo de memória – carregado na memória da placa controladora, que aceita Windows, Linux e Mac OS X.
Em termos de software, o Arduino pode ter funcionalidades desenvolvidas por meio da linguagem C/C++, que utiliza uma interface gráfica escrita em Java. As funções IDE do Arduino permitem o desenvolvimento de software que possa ser executado pelo dispositivo.

É aí que entram ideias como a automação de casas, acender luzes por meio da controladora ou projetos mais ousados como o Biometric Security Toy Box, que une a biometria, mais especificamente a ideia do novo sensor de identidade digital da Apple, o Touch ID do iPhone 5S, ao Arduino.

O projeto do designer inglês Grant Gibson consiste em trocar a fechadura convencional da caixa de brinquedos (que abriga a coleção de carrinhos do seu filho) por um acesso por impressão digital. O sistema é baseado em placa Arduino Uno e um sensor de impressão digital óptico. Uma vez cadastrada a digital da criança, só ela consegue ter acesso a sua caixa de brinquedos.

Desenvolvido por dois noruegueses, o LED Cube levou cinco dias para ter o software finalizado (Foto: Reprodução/Kickstarter/YouTube)

Desenvolvido por dois noruegueses, o LED Cube levou cinco dias para ter o software finalizado (Foto: Reprodução/Kickstarter/YouTube)

Fonte: http://www.techtudo.com.br/noticias/noticia/2013/10/o-que-e-um-arduino-e-o-que-pode-ser-feito-com-ele.html

Publicado em Tecnologia | Deixar um comentário

Somos águias?

Somos águias?

Publicado em Sem categoria | Deixar um comentário

Chanuká

A festa judaica de Chanuká começa este ano dia 17 de dezembro. A festa das luzes celebra a purificação do Templo de Jerusalém pela família de Judas Macabeu no ano de 167 AC. Diferente da crença popular, “Macabeu” não era o sobrenome de Judas e seus irmãos (era “filho de Matatias”).

Então o que significa o nome “Macabeu”? Aparentemente Macabeu era o apelido de guerra de Judas e é um acrônimo (m.k.b.i) para as palavras MiKamocha Ba-elim Adonai: “Quem é como tu, Ó SENHOR, entre os Deuses?” (Êxodo 15:11). Por que eles escolheram um verso de Cântico do Mar como base para sua identidade? Este cântico de louvor celebra a derrota do poderoso exército egípcio enquanto o povo atravessava o Mar Vermelho, o exemplo perfeito do fraco superando o forte.

Mas muito mais que isso, este cântico faz uma referência explícita ao Templo de Jerusalém: “o lugar, Ó Senhor, que o fez de moradia, o santuário, Ó Senhor, que suas mãos estabeleceram” (Êxodo 15:17). Nas suas batalhas contra os Selêucidas, os Macabeus se inspiraram com a história mítica do Êxodo, esperando pelo dia em que Deus “plantaria eles na montanha de sua posse”.

Chag Urim Sameach! Feliz Festa das Luzes!

Sinceramente,

Jonathan Lipnick
Jonathan Lipnick,
Professor assistente, eTeacherBiblical.




Publicado em Gospel Line | Deixar um comentário

SCRUM e o Gerenciamento de Projetos

scrum

Neste post, coloco o link para o vídeo do youtube produzido pela Hiflex Consultoria, apresentado pelo consultor Vitor Luiz Massari, que com muita propriedade fala desse Framework (alguns chamam de metodologia) aplicado no gerenciamento de projetos.

Desejo que seja proveitoso para vocês como foi para mim.

Abraço!

Webinar sobre SCRUM

Publicado em Gestão Empresarial | Deixar um comentário

Israel x Palestina 2014

Localização  Faixa de GazaO conflito armado entre palestinos e israelenses, que se intensificou nos últimos dias, remonta o início do século passado, período em que a Organização das Nações Unidas (ONU) dividiu a região da Palestina em dois territórios, a fim de separar árabes e judeus. Por discordarem dos limites dessa divisão, iniciou esse conflito, tendo maior ênfase agora, devido a eleição do Hamas para o controle do parlamento palestino, pois ele é considerado um grupo terrorista pelas principais nações. Essa peleja tão cedo não terá fim.

            Um grande ponto de discórdia entre eles é a capital de Israel: Jerusalém. Os Palestinos, já há muito tempo, reivindicam-na como capital do Estado da Palestina. A Faixa de Gaza, que faz fronteira com Israel, é muito dependente da água da região de Wadi Gaza, cujos mananciais também servem o Estado de Israel. A diferença religiosa é outro ponto de discórdia entre esses dois estados. A Palestina tem 99% da população orientada ao Islamismo, enquanto que em Israel, a maioria é Judaica.

            Historicamente, árabes e judeus estão em conflito há milênios. Sendo descendentes do patriarca Abraão, Ismael, o filho rejeitado, deu origem ao povo árabe e Isaque, o filho da promessa, originou o povo judaico. Desses dois, surgiram muitas nações, que segundo relatos bíblicos, sempre estiveram em conflito uns contra os outros. Quase sempre, essas guerras eram por territórios, como se vê nos dias de hoje nesse conflito.

            Por séculos e séculos esses dois povos estiverem em conflito, destilando ódio uns aos outros. Sempre houve algum país bem intencionado atuando como mediador para se alcançar a paz, mas apesar dos esforços, os resultados foram medíocres. Bilhões de dólares foram gastos reconstruindo cidades destruídas pelas sucessivas guerras naquela região. Não há bom senso, não há tolerância, não há humanidade. Assim, essa peleja tão cedo não terá fim.

by Luiz Augusto Chaia.

Publicado em Gospel Line | 1 comentário

Por que Jesus chorou por Jerusalém?

Igreja Dominus Flevit, JerusalémDe acordo com o capítulo 19 do Evangelho de Lucas, quando Jesus se aproxima de Jerusalém, ele olha para o Templo no Monte das Oliveiras e chora pela futura destruição da cidade. Ele prediz que os inimigos destruirão o Templo, sem deixar “pedra sobre pedra, porque não reconheceste a maravilhosa oportunidade que tiveste com a sua visitação” (Lucas 19:44)
A maioria das pessoas acredita que a frase “sua visitação” significa a visita de Deus na cidade, personificado em Jesus. Este não é o único significado possível. A palavra “visitação” em Grego é episkopē, que significa “zelar/tomar conta”. É a raiz da palavra “episcopal” que significa “próprio ou relativo a bispo”, o supervisor de uma igreja. Então Jesus também está falando que Jerusalém cairá porque seus habitantes não reconhecem sua obrigação de “zelar” por ela. A classe dominante estava muito ocupada com seus negócios para dar os devidos cuidados aos menos privilegiados e muito corrupta para dar o cuidado adequado ao caráter público da cidade. Como previsto, essa falta de “supervisão” resultou na destruição da cidade pelos romanos apenas quarenta anos depois da visita de Jesus.
By Jonathan A. Lipnick
Jonathan Lipnicki é doutorando em Estudos Cristãos adiantados na Universidade de Harvard. MA é formado em estudos religiosos da Universidade Hebraica de Jerusalém e da Universidade de Harvard e um BA em estudos religiosos da Universidade de Indiana.
Publicado em Gospel Line | 1 comentário

energianegra

Em cosmologia, a energia escura (ou energia negra) é uma forma hipotética de energia que estaria distribuída por todo espaço e tende a acelerar a expansão do Universo. A principal característica da energia escura é ter uma forte pressão negativa. De acordo com a teoria da relatividade, o efeito de tal pressão negativa seria semelhante, qualitativamente, a uma força que age em larga escala em oposição à gravidade. Tal efeito hipotético é frequentemente utilizado, por diversas teorias atuais que tentam explicar as observações que apontam para um universo em expansão acelerada.

A natureza da energia escura é um dos maiores desafios atuais da física, da cosmologia e da filosofia. Existem hoje muitos modelos fenomenológicos diferentes, contudo os dados observacionais ainda estão longe de selecionar um em detrimento dos demais. Isso acontece pois a escolha de um modelo de energia escura depende de um bom conhecimento da variação temporal da taxa de expansão do universo o que exige a observação de propriedades de objetos a distâncias muito grandes (observações e medição de distância em altos redshifts). (http://pt.wikipedia.org/wiki/Energia_escura)

Publicado em por admin | 1 comentário

Líder ou chefe, do que precisamos?

Criar um grande líder é uma faca de dois gumes, pois o líder é um ser capaz de influenciar as massas, mas nem sempre para o bem. Numa organização, na era em que vivemos, não podemos mais ter chefes gerenciando equipes, mas líderes que entendam o negócio da empresa, as dimensões estratégicas, os pontos fortes e fracos da organização e dos colaboradores. O líder sabe direcionar seus colaboradores para que atuem com sinergia, contamina-os com entusiasmo para que façam o “seu” melhor. O líder tem que ser capaz de produzir as mudanças que a organização necessita, levando em consideração os ambientes externo e interno, a ação da concorrência, o rumo da economia, as necessidades e desejos dos clientes, as capacidades dos fornecedores e ainda lidar com os fatores sobre os quais não se tem domínio, como a natureza. Por isso, ser líder nesse contexto, requer características difíceis de serem encontradas, mas que podem ser trabalhadas nos profissionais que estão à frente nas empresas.

By LAChaia, em 17/04/13.

Publicado em Sem categoria | Deixar um comentário

Como melhor decidir na organização!

Tomando decisões racionais

Comumente imagina-se que racionalidade seja algo nato de pessoas equilibradas, que possuem bom senso, mas na realidade, essa é uma qualidade que se desenvolve pelo exercício da razão, isto é, pelo pensamento sistêmico. Para tomar uma decisão racional, a pessoa pondera a maioria dos fatores que afetam esse processo, como o meio ambiente, as pessoas afetadas, o impacto nas finanças, a concorrência, entre outros aspectos. Na era da informação em que vivemos, a tecnologia da informação mune o gestor com grande volume de informações nas quais ele pode embasar sua decisão. O uso de ferramentas estatísticas e de pesquisa operacional contribuem de maneira significativa o processo decisório, pois fornecem análise numérica dos fatos que permeiam o problema a ser resolvido. O processo decisório deve utilizar o sistema de informações gerenciais que a empresa dispõe, o processo não precisa mais ser empírico ou emocional, apesar que estes fatores são indissociáveis desse processo, pois são características humanas intrínsecas que aliadas ao pensamento sistêmico conduz a uma melhor decisão.

12/04/13, by LAChaia

Publicado em Gestão Empresarial | 3 comentários

A importância da comunicação empresarial

A importância da comunicação empresarial

A empresa é um organismo sistêmico onde as pessoas das mais variadas classes e escalões interagem rotineiramente. Os gerentes comunicam decisões, orientam processos, cobram resultados. Os colaboradores recebem informações sobre seus desempenhos, são informados das diretrizes da empresa, do andamento das atividades econômicas do mercado onde se inserem. A comunicação dentro de uma empresa é tão importante que pode ser um fator crítico de sucesso ou sua grande fraqueza, dependendo de como ela é desenvolvida. Na comunicação empresarial sempre há ruídos, como boatos, fofocas, maledicências e conversas que não agregam valor ao trabalho; isso tudo reduz a produtividade do trabalhador, cria uma imagem negativa da empresa na sociedade, prejudica o faturamento, ou seja, todos saem perdendo. Quando bem utilizada, a comunicação eleva o nível de satisfação do colaborador para com a empresa, estimula ações proativas, reduzem custos e melhora a imagem da empresa na sociedade. Assim, comunicar fortalece amizades e estimula a produtividade.

12/04/2013, by LAChaia

Publicado em Sem categoria | Deixar um comentário